O Médico da Aldeia

Em Alqueidão da Serra existe um Posto Médico, que  tem vindo a ser equipado e remodelado pela Junta de Freguesia, de forma a que a população possa ter médico de família e serviços de enfermagem.

Em 2016 o Posto Médico fechou, por três meses, diziam que por falta de funcionária administrativa, criando imensas dificuldades aos utentes que dele necessitavam. Na altura o que diziam as más línguas, era que isto acontece porque o médico se ia reformar, e que não se sabia se o Posto Médico voltaria a abrir. Ninguém acreditava que não existisse uma funcionária administrativa para substituir outra que se tinha ausentado por motivos de saúde.

Verificou-se efetivamente que o médico optou por se aposentar.

Em 2016, quando o PS voltou ao governo e os ministérios da Saúde e das Finanças definiram que além da reforma, os médicos acumulam ainda 75% do vencimento correspondente ao escalão em que estavam e às horas semanais contratadas, muitos médicos reformados voltaram ao ativo. Segundo dados da Administração Central do Sistema de Saúde, a 31 de dezembro havia 301 médicos reformados a trabalhar no SNS.

No Posto Médico de Alqueidão da Serra o médico, que se reformou, optou por ficar na mesma ao serviço, mas apenas a meio tempo. Ou seja, está de serviço 2 ou 3 dias por semana e o resto do tempo está de férias.

Passado que foi quase um ano nesta situação, o médico deixou de poder responder às necessidades da população, porque em metade do tempo é impossível atender as mesmas pessoas que atenderia se estivesse a tempo inteiro.

Então: Precisa de consulta? Só daqui a um mês, e não venha para cá à quinta-feira que é o dia dos diabéticos, e nos outros dias não vai haver vagas. Precisa de medicação? Agora não pode ser, talvez na próxima semana.

E em 14 de Novembro de 2017 o Posto Médico fechou. As consultas que estavam aqui marcadas foram transferidas para Porto de Mós. A funcionária administrativa tinha deixado na farmácia as receitas que o médico já tinha passado, porque os utentes iriam encontrar o Posto Médico fechado, sem qualquer aviso, quando as fossem lá buscar.

Nos dias seguintes quem precisasse de médico encontrava no Posto Médico muitos AVISOS diante de uma porta fechada, e nenhum deles informava até quando esta situação se iria manter.

Soube-se mais tarde que afinal o Posto Médico tinha fechado porque a funcionária administrativa teve necessidade de se ausentar por motivos de saúde, e não foi colocada outra funcionária no seu lugar.

Para esta situação foram imediatamente alertadas as entidades ligadas à saúde, e foi também dado conhecimento à Câmara Municipal de Porto de Mós.

No domingo 27 de Novembro, veio a TVI ao Alqueidão da Serra e nesta altura a população teve oportunidade de mostrar todo o seu descontentamento e preocupação, procurando encontrar uma solução para os problemas que enfrenta no acesso aos Serviços de Saúde.

Na segunda-feira seguinte a esta reportagem a única coisa que tinha mudado foram os AVISOS na porta do Posto Médico. Agora já sabemos que o nosso Posto Médico vai estar fechado até 31 de Dezembro, ou seja, mais um mês sem médico de família.

O Coordenador da UCSP de Porto de Mós devia ter vergonha de assinar um documento destes onde demonstra a sua total incapacidade e incompetência para o lugar que ocupa.

Se não tem capacidade para substituir uma funcionária administrativa que se encontra de baixa, contacte a ARS de Leiria, contacte o Ministério da Saúde, peça a colaboração da Câmara de Porto de Mós, accione os mecanismos para que seja aberto um concurso publico, invista na formação de novos técnicos administrativos, existem muitas, muitas coisas que pode fazer. A única coisa que não pode fazer é deixar um população inteira sem médico de família, só porque é mais fácil não fazer nada.

O novo presidente da Câmara Municipal de Porto de Mós, tão empenhado que estava antes das eleições em estar “ligado a si” também ainda não deu a cara para falar sobre este assunto e não apresentou até à presente data (1 dezembro 2017) alternativas, como por exemplo assegurar o transporte para que as pessoas se possam deslocar às consultas a Porto de Mós, ou informar no sentido de estar a ser tomada alguma medida que leve à resolução deste problema.

A freguesia do Alqueidão da Serra tem a infelicidade de pertencer ao Concelho de Porto de Mós, mas esta situação também pode mudar, porque não se pode aguentar tudo para sempre.

 Médicos de Antigamente

Manuel Vieira Amado, José Rosa e o enfermeiro Lourenço da Costa, serão sempre lembrados pelos cuidados médicos que prestaram à população de Alqueidão da Serra e lugares vizinhos, por vezes a troco de nada, porque não havia como lhes pagar, mas ganharam o carinho, a amizade e o respeito de todos, pelo que nunca serão esquecidos.

 

 

Esta entrada foi publicada em Condições de Vida. ligação permanente.

Obrigado pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s