Coral Calçada Romana

Calçada Romana -Via de Cultura – Coros XIX

Sons entre Mar e Serra

Julho 20, 2014 no Salão da Casa do Povo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Maestro Noé Gonçalves

Nascido no ano de 1979 iniciou os seus estudos musicais aos dez anos na classe de piano do professor Alexandre Rodrigues. Após a conclusão do Ensino Secundário ingressa na licenciatura em Educação Musical no Instituto Politécnico de Coimbra e, concomitantemente, inicia os estudos de contrabaixo no Conservatório da mesma cidade.

Após a conclusão da licenciatura, em 2001, inicia a carreira no ensino, assim como os estudos na área do Jazz na escola de Jazz do Hot Club de Portugal na classe de contrabaixo.

Inicia a sua formação em direcção coral com o maestro José Robert, trabalhando ainda com Luis Bragança-Gil, Roberto Perez, Jean Sebastian Bereau e Edgar Saramago.

Em 2010, simultaneamente com a actividade como professor das Classes de Conjunto do Conservatório de Música de Ourém e Fátima, concluiu a licenciatura em Formação Musical na Escola de Artes Aplicadas de Castelo Branco.

Actualmente, coordena as Classes de Conjunto do Conservatório de Música de Ourém e Fátima, integra a Orquestra de Jazz de Leiria, assume a direcção artística do Coro Fátima Chorus e dirige o Coral Calçada Romana de Alqueidão da Serra.

O Grupo Coral Calçada Romana começou os seus ensaios em Novembro de 1993, e era nessa altura composto por cerca de 30 elementos.

A apresentação do coral ocorreu no dia 6 de Março de 1994, no encontro de coros “Calçada Romana – Via de Cultura II” na Casa do Povo de Alqueidão da Serra.

1coral

O Coral tem efectuado inúmeros concertos por toda a região Centro, sendo de destacar locais como o Castelo de Leiria, O Centro Pastoral Paulo VI, o Teatro José Lúcio da Silva, o Mosteiro da Batalha, etc.

Deslocou-se por várias vezes ao  estrangeiro, tendo actuado em França e Espanha, orgulhando-se de ter pisado importantes palcos como a Catedral de Sainte-Marie (Oloron de Sainte-Marie), a Catedral de Santiago de Compostela (em 1999 e 2005), a basílica de Covadonga (2002), a Igreja de San Juan El Real (Calatayud), a Igreja de Santa Mónica (Saragoça), a basílica de Guadalupe (Património da Humanidade, em Espanha), o Centro Asturiano de Oviedo (em 2007), a Catedral de Cáceres (2008) e o Santuário de Lurdes (2009).

Actualmente constituído como associação cultural, o Coral Calçada Romana conta com cerca de 26 elementos e foi dirigido desde a sua fundação até ao ano de 2011, pelo Maestro Joaquim Vicente Narciso.

Maestro Joaquim Vicente Narciso
Foi aluno do Instituto Gregoriano de Lisboa onde trabalhou com D. Júlia d’Almendra. No mesmo Instituto cursou Órgão com Sibertin-Blanc. Frequentou na Gulbenkian um curso de Iniciação Musical e Pedagogia Infantil dado por Edgar Willems; igualmente na Gulbenkian frequentou Direcção Coral com o Professor Pierre Kelin. Em cursos de Música Antiga trabalhou com Santiago Kastner e Simões da Hora. Trabalhou com Arsène Bedois em curso de aperfeiçoamento e técnica de Órgão, nas Semanas Gregorianas, em Fátima.
Tem frequentado diversos cursos nacionais e internacionais relacionados com a Música, direcção musical e Órgão; Dirigiu o Coral da Sé de Leiria durante 8 anos. Foi Mestre de Coro e Organista no Santuário de Fátima. Dirigiu o Coral da Filarmónica das Cortes, tendo realizado e dirigido o 1º e 2º Encontros Nacionais de Coros de Semana Santa, realizados na Sé de Leiria, organizados pelo mesmo Coral.
Promoveu e dirigiu o 1º Encontro de Coros do Distrito de Leiria, organizado pelo Coral do BNU – Leiria. É professor de Órgão em escolas de música. Foi recentemente agraciado com a Medalha de Mérito Cultural “Austregésilo de Athayde” pela Academia de Letras e Artes de Paranapuã – ALAP- Brasil.
Em 1993 foi galardoado pelo Município de Leiria pela dedicação e entusiasmo ao estudo e divulgação da música.
Realizou o “Magnificat” de Pergolesi com a Orquestra de Fornos (Santa Maria da Feira) e com os Corais que dirigia aquando dos 125 anos da Filarmónica dos Pousos.
Pesquisou, recolheu, realizou e dirigiu, em estreia absoluta, o “TE DEUM” (composto em 1870) de Inácio Aires de Azevedo, compositor leiriense, obra que se julgava perdida. Realização levada a efeito com a colaboração da Orquestra Juvenil de Fornos – Santa Maria da Feira e o Coral “QUODLIBET”- agrupamento de cinco corais criado para a realização de obras Corais Sinfónicas.
Foi o organizador e responsável gráfico pelo “Cancioneiro de Entre Mar e Serra da Alta Estremadura”, de José Ribeiro de Sousa – o maior cancioneiro até agora publicado em Portugal. Dirige o Coral Cantábilis, da Caixa Geral de Depósitos de Leiria. Dirigiu o Coral Calçada Romana, de Alqueidão da Serra, desde a sua fundação até Outubro de 2011, ao longo de 18 anos.

Coral Calçada Romana – 2010

Das actividades da Associação Coral Calçada Romana podem-se destacar:

  • Cantou  em directo para a TVI;
  • Participou no programa “Multipistas” da RDP Antena 1;
  • Gravou juntamente com os restantes corais do Concelho de Porto de Mós, o CD “Portus Molarum”,em 1998;
  • Teve várias actuações no concelho de Porto de Mós ao abrigo dos protocolos celebrados anualmente com a Câmara Municipal.
  • Colabora também regularmente com a delegação de Leiria do INATEL, tendo sido galardoado por esta instituição, em Dezembro de 1999, com a Medalha de Mérito Cultural.
  • Foi-lhe igualmente atribuída pela Câmara Municipal de Porto de Mós, a Medalha de Mérito Cultural do município, na passagem dos 10 anos de actividade coral.
  • Organiza anualmente o ciclo de música coral “Calçada Romana – Via de Cultura – Coros (Sons entre Mar e Serra), na sua 15ª edição, que tem contado com a parceria do INATEL-Leiria e com o alto patrocínio da Delegação de Regional da Cultura do Centro.
  • Organiza igualmente o Concerto de Natal de Alqueidão da Serra (que já vai na sua 14ªedição), bem como intercâmbio com outros coros nacionais e estrangeiros.
  • Promove, com o apoio da Câmara Municipal de Porto de Mós, o Prémio de Harmonização Coral José Ribeiro de Sousa, que se destina a incentivar o aparecimento de harmonizações para coros de peças do “Cancioneiro de Entre Mar e Serra da Alta Estremadura”.
  • Organiza a Festa Popular da Musica que vai na  2ª Edição, e que conta com a participação de todas as pessoas do Alqueidão que sabem tocar algum instrumento ou que têm  qualquer actividade ligada à musica.

Festa Popular da Musica 2010

Esta entrada foi publicada em Vida Social. ligação permanente.

Obrigado pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s