As Famílias da Pedra

Perfil da família-tipo do Alqueidão em 1995

Têm quatro elementos: pai, mãe e dois filhos em idade escolar. O pai trabalha na Mendiga e a mãe trata da saúde da família, acompanha a vida escolar dos filhos e faz a gestão do orçamento familiar.

Azulejo pedra calçada

Painel de Azulejo – Beco dos Calvários

Por se tratar de um retrato de uma época, transcrevo um artigo de Filomena Sarmento publicado no Jornal “CRUZEIRO” nº 13 de Abril de 1995.

As Famílias da Pedra

“Num lugar e contextos diferentes este titulo poderia causar estupefação: famílias e pedra? Que relação?!

Aqui não há motivo para espanto da relação estabelecida, penso, no entanto, que se deve refletir sobre esta realidade.

Como se sabe, o ofício do corte da pedra para utilização em calçada é comum aqui no Alqueidão tendo surgido com uma frequência bastante elevada a partir da última década.

A freguesia, num passado recente tinha características muito rurais e as pessoas tinham um poder económico muito reduzido. De um momento para o outro, tudo mudou…

Que consequências para as famílias? Quais foram as mudanças?

Num estudo efetuado em Setembro de 1993 de uma amostra populacional de 50 famílias desta terra, verificou-se que:

  • O ano de inicio de atividade laboral na pedra mais citado foi o de 1983, apesar de haver referencias mais antigas e outras bastante mais recentes.
  • Numa fase anterior ao inicio no oficio da pedra, 36% dos indivíduos estiverem ligados à construção civil, 15% foram imigrantes, 13% vieram do ensino básico, 7% eram funcionários públicos e os restantes pertenciam a profissões diversas.
  • O numero de horas de trabalho passou de oito horas na atividade laboral anterior, para dez horas de trabalho diário em média no presente oficio.
  • O numero de horas de sono passou de uma média de oito para sete horas.
  • As refeições eram quatro numa fase anterior e agora são em média de três. Os indivíduos tinham uma alimentação mais ou menos variada, passam a ter uma alimentação mais monótona, sendo o elemento predominante a carne.
  • Ocupam os tempos livres com a televisão, o café e o futebol. As mudanças relativas aos hábitos dos tempos livres não são significativas.
  • Em relação às tarefas domésticas também não há mudanças. Não efetuavam nem efetuam qualquer trabalho doméstico.
  • O nível económico das famílias aumentou significativamente.
  • O espaço da casa foi renovado, ou foi construída uma nova casa. O conforto da casa aumentou e 56% das famílias têm casas sem serem luxuosas mas espaçosas e confortáveis.
  • A disponibilidade dos trabalhadores da pedra diminuiu. Retirando às 24 horas do dia, o numero de horas de trabalho e de sono, obtém-se uma disponibilidade entre 4 e 9 horas, sendo 7 horas o resultado mais frequente.
  • As relações entre os membros das famílias modificaram-se. Existe menos tempo para o diálogo entre os elementos, tendo-se tornado as relações familiares mais difíceis a partir do inicio da atividade laboral na pedra. As opções da família são feitas por ambos os elementos do casal.

Além dos aspetos já citados poderia resumir assim a família-tipo desta amostra:

  • Possui quatro elementos (casal com dois filhos em idade escolar).
  • A esposa tem 42 anos, é doméstica e tem como habilitações literárias a 4ª classe. Trata das questões escolares dos filhos, das questões de saúde da família e do seu orçamento.
  • O marido tem 42 anos, trabalha na pedra e tem a 4ªclasse. Trabalha na Mendiga e aprendeu o oficio com o pai. Possui uma empresa de tipo familiar.

Quando iniciei este estudo, tinha a perceção que estava perante uma profissão nova dentro do contexto da freguesia de Alqueidão da Serra. No entanto, ao longo da pesquisa verifiquei que este modo de viver tinha raízes no passado da gente local. “O passado é a chave da compreensão da família no contexto atual” (Daniel Sampaio).

Os alqueidoenses dedicam-se à extração, transformação e comércio da pedra, não só porque as condições foram favoráveis, mas também porque souberam agarrar as tradições e costumes vindos dos pais e avós relativos à exploração da pedra local (65% dos elementos inquiridos dizem ter aprendido o oficio com o pai, e 28% com um familiar).

Trata-se pois de um traço de cultura familiar que foi transmitido de pais para filhos e que estes tiraram partido da situação de tal ordem que modificaram a paisagem humana da localidade.

Para finalizar, cito a perspetiva da família segundo Carl Whitaker (terapeuta familiar). Para este autor, a família saudável tem as seguintes características:

  • “A família tem uma noção de conjunto, mas esse todo não pode abafar a noção de individuo. Família saudável será aquela que consegue um conjunto integrado de modo que os indivíduos não fiquem demasiado isolados nem se fundam com o todo;
  • Existe uma continuidade da família ao longo do tempo e cada elemento família tem uma visão transgeneracional da passagem de valores familiares;
  • Há necessidade de delimitar sub-sistemas para ultrapassar a barreira intergeneracional (os filhos não são os pais e vice-versa);
  • Há flexibilidade nos papéis familiares e a distribuição de poderes também é flexível;
  • Os problemas são resolvidos através do diálogo que envolve a análise, síntese de regras familiares e realidade quotidiana;
  • A família é um sistema aberto, indiferenciado pelo que se passa na sociedade e em contínua evolução”.

Toda uma série de questões para as famílias do Alqueidão refletirem”.

Filomena Sarmento

Uma amostra semelhante nos dias que vão correndo teria um resultado completamente diferente, uma vez que os pais que trabalharam arduamente para dar aos filhos uma vida melhor, viram que eles terminaram os seus cursos sem nenhuma perspetiva de emprego na área que escolheram.

Os exploradores de pedreiras começaram a sentir enorme dificuldade em vender a pedra, que passou a ver-se amontoada nas pedreiras.

DSC03434

Esta situação levou a que muita gente tivesse que emigrar. Durante os anos de 2014 e 2015 foram muitos os que tiveram que deixar a sua terra natal, e procurar trabalho noutros países.

O Censos, que é realizado de 10 em 10 anos, é um estudo estatístico que possibilita a recolha de várias informações relativas à população, tais como o número de homens, mulheres, crianças e idosos, entre outras coisas.

Dados Estatísticos

Famílias Clássicas – 2011

Segundo o censos 2011 existiam no Alqueidão da Serra 636 famílias, assim distribuídas:

  • Alqueidão da Serra……. 417
  • Bouceiros…………………   42
  • Casais dos Vales………..  66
  • Casal Duro……………….  42
  • Covão de Oles………….   19
  • Covas altas………………  18
  • Demó …………………….  23
  • Valongo………………….    9
Esta entrada foi publicada em Condições de Vida. ligação permanente.

Obrigado pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s