Falgar

Chamamos Falgar às terras de cultivo que ficam ao lado esquerdo de quem desce a estrada velha para Porto de Mós, mais para o lado da Fonte (logo à saída da povoação chamamos “Costinha”, e Tojeiros lá mais para o cimo da encosta.)

É uma das zonas mais férteis da nossa terra. Alfredo de Matos referia-se a estes terrenos como a “terra onde se cria muito do variado com que Deus torna mimosa a alimentação das gentes, a par da ferrã viçosa para os gados”.

Antigamente ter um terreno no Falgar era uma riqueza. Todos os bocadinhos de terra eram cultivados. De lá vinham as frutas, os legumes e as verduras necessárias para a alimentação. O acesso era um carreiro estreito por onde passavam os burros carregados com os produtos da terra e as alfaias agrícolas.

Com o passar do tempo foi-se alterando o modo de vida das pessoas, o caminho do Falgar foi alargado para permitir a passagem de veículos, mas isso não impediu que muitos terrenos ficassem abandonados e cobertos de silvas e fetos.

Actualmente alguns terrenos do Falgar voltaram a ser cultivados,  por lá abundam oliveiras e laranjeiras, e o caminho é também muito percorrido pelos que fazem as suas caminhadas, ou passeios de bicicleta.

Nesta zona abunda o tufo calcário.

O tufo é uma disposição ordenada de elementos geológicos, de origem sedimentar cuja consistência aumenta na razão em que a sua porosidade diminui e vice-versa.

  • Se os poros rareiam, aí, o processo evolutivo da formação deu uma pedra esbranquiçada e macia, que se emprega na construção.
  • Quando os poros se multiplicam, então o tufo é uma camada espessa e improdutiva, que fica por baixo da terra cultivável. Também o tufo se emprega nalgum tipo de construção civil como substituto de areia.

Foi o trabalho persistente e a adubação natural duma agricultura que durante muitos anos usou o arado,  que conseguiu transformar o tufo em terra produtiva e muito, muito fértil, como a que temos na Várzea, na Horta da Fonte e no Falgar.

Falgar

De acordo com  o iDicionário a palavra Falgar signinifica “Terra vermelha, muito fértil, resultante principalmente de decomposição do calcário”.

Esta entrada foi publicada em Alqueidão. ligação permanente.

Uma resposta a Falgar

  1. Suseli diz:

    Muito interessante, alegro me em poder apreciar essas peculiaridades de vossa Terra… Terra dos meus antepassados, o qual sinto imensa gratidão!

    Gostar

Obrigado pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s