Jupéro e a Restauração da Diocese

…Continuação

UM ALVITRE: CONTRA O ESQUECIMENTO

Com o título “Restauração do Bispado de Leiria – O Triunfo”, Jupéro volta ao assunto que lhe era tão caro na edição de 7 de março de “O Mensageiro” para evocar antigos colegas de luta que faleceram sem verem concretizada a visão de uma diocese restaurada e para apelar publicamente ao Presidente da República Sidónio Pais no sentido de, excecionalmente, permitir que o octogenário Padre Francisco Pereira, SJ, filho ilustre de Leiria exilado em Tui, na Galiza há cerca de 4 anos, estivesse presente na Sé de Leiria no dia da entrada do novo bispo na diocese, concedendo assim a “última e suprema consolação ao maior obreiro da restauração da sua e nossa Diocese”, escreve Jupéro que não deixa de enviar também um recado, bem ao seu estilo,  certamente com destinatários bem definidos: “Nesta empresa não há louros individuais nem mesquinhas emulações; todos trabalharam com dedicação e lealdade para a vitória que era ambição comum”.

O Padre Júlio Pereira Roque, combatente incansável, generoso e por vezes temerário, não foi nomeado, como julgava natural, para qualquer função no novo Paço Episcopal de Leiria.

Cansado, doente e desiludido com alguns dos seus pares, gasta os dias na sua casa no Alqueidão da Serra e aguenta sozinho as intimações psicológicas e físicas oriundas dos caciques republicanos locais que, certa vez, passaram das ameaças aos atos e perpetraram um atentado à bomba, sem consequências graves, contra o homem que um dia sonhou com “a cidade de Leiria cheia de galas a prestar homenagens ao seu novo Bispo”.

No Alqueidão da Serra a memória deste homem integro e corajoso, está preservada na forma como a autarquia e familiares cuidam do seu jazigo, mas a memória de Jupéro como ativista político e religioso, militante incansável da causa da restauração merecia da diocese de Leiria o tributo que nunca teve.

O Padre Júlio Pereira Roque está sepultado no cemitério velho de Alqueidão da Serra

FIM

 

(O autor destes textos, João Amado Gabriel, é sobrinho bisneto do Padre Júlio Pereira Roque. É jornalista e exerce funções de repórter de imagem na TVI.)

Esta entrada foi publicada em Restauração da Diocese. ligação permanente.

Obrigado pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s