Alqueidão Mavioso

Alqueidão Mavioso

Moras à beira da Serra

Com cheirinho a alecrim

Como é linda a nossa terra!

 

O Lugar do Alqueidão

tem figueiras ao redol

Tem rapazes como a Lua

Raparigas como o Sol

 

O Lugar do Alqueidão

é comprido mas é estreito

no meio se anda a criar

um cravo para o meu peito

 

Vêm as flores na primavera

Que nos fazem reviver

Mas temos que te deixar

para irmos trabalhar

Quem me dera cá viver!

Esta entrada foi publicada em Património Imaterial. ligação permanente.

Uma resposta a Alqueidão Mavioso

  1. Jorge Reis Amado diz:

    Parece-me existirem nesta cantiga duas diferenças relativas à versão conhecida na minha juventude no Alqueidão: 1.ª – O título era “Alqueidão Mavioso”; 2.ª – O primeiro verso era “Ó Alqueidão mavioso”, e aqui, dado que houve personificação de Alqueidão, acho que faz todo o sentido o “Ó” do vocativo, mas é matéria para especialistas. De qualquer modo, talvez haja algum coevo destes versos que possa atestar o que afirmo.
    Grato por relembrarem estas peças do nosso património.

    Gostar

Obrigado pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s