Francisco Furriel

Filho de Esperança Silva e Manuel Jorge Furriel, nasceu em Alqueidão da Serra em 1925.

Estudou até à 4ª.Classe, e ainda frequentou por algum tempo a Escola Comercial de Leiria, mas uma queda obrigou-o a ficar em casa durante três meses, e já não regressou à escola.

Durante o tempo que esteve em casa a recuperar da queda, construiu uma miniatura do Mosteiro da Batalha. Foi este trabalho que apresentou na primeira exposição de arte de trabalhadores que se realizou em Lisboa, corria o ano de 1951. E foi premiado!

Depois dessa exposição em Lisboa todas as portas se abriram. Conheceu pessoas importantes na área das artes. Apresentou uma fotografia da miniatura do Mosteiro da Batalha na Fábrica Bordalo Pinheiro nas Caldas da Rainha, e logo quiseram dar-lhe trabalho. Não ficou a trabalhar lá porque um amigo que tinha no Alqueidão, o Paulo Amado, lhe disse que ele devia era ir trabalhar para a Secla que era um empresa mais moderna e já integrada no mercado internacional.

Francisco Furriel começou a trabalhar na Secla nas Caldas da Rainha em 1953. Casou com Clotilde Amado Gabriel, natural de Alqueidão da Serra, e foram viver para as Caldas da Rainha onde construíram toda a sua vida.

1954

A sua actividade profissional baseou-se na cerâmica, trabalhava na Secla 8 horas por dia, mas nos tempos livres dedicava-se também à pintura, à escultura e também à geologia e arqueologia.

22nov1973

Embora tendo a sua residência nas Caldas da Raínha, visitava frequentemente a sua terra natal, manifestando um grande interesse pela história da sua freguesia e do concelho de Porto de Mós.

Euclides

Elaborou uma monografia sobre o concelho de Porto de Mós, intitulada “Da Pré História à Actualidade”em três volumes, onde se pode ler informação sobre todas as freguesias do concelho e que se encontra disponível para consulta na Biblioteca Municipal de Porto de Mós .

Este slideshow necessita de JavaScript.

Criou o museu de História Natural de Porto de Mós, onde reuniu peças que vieram de todo o concelho: Fósseis, pedras, alfaias agrícolas, etc., obra esta conseguida com o apoio do presidente da câmara, que na altura era Gomes Afonso, e ao vereador da cultura José Ferreira.

Teve a iniciativa de fazer o “concurso de presépios”, que ainda se realiza todos os anos, promovido pela Câmara Municipal.

Francisco Furriel

Da autoria de Francisco Furriel é o baixo relevo que se encontra no cruzamento da estrada Romana, o busto do Fiscal Costa que está  na Rua A-do-Ferreiro e busto do Major no jardim da barreira.

Foi sob a orientação de Francisco Furriel que, por ocasião das comemorações da criação da freguesia em 25 de Outubro de 1970, se inaugurou a   exposição documental feita na capela da Senhora da Tojeirinha. Nela se encontravam muitas peças paleontológicas e arqueológicas encontradas na Freguesia no decorrer dos tempos. Eram objectos diferentes de serventia geral tais como vestuário, alfaias agrícolas, boiças, moedas, armas de defesa e caça, dobadoiras, algumas contas das que se fabricaram no Alqueidão, louça de cozinha, livros, pesos, etc.

Contribuiu para a construção do Miradouro Jurássico (junho de 1995) em colaboração com a arquitecta Ester Vieira, Manuel Gomes António, Junta de Freguesia, Câmara Municipal de Porto de Mós, e vários trabalhadores de Pedreiras e Construção Civil do lugar de Alqueidão da Serra.

Mudou a sua residência para o Alqueidão e expôs alguns dos seus trabalhos na Casa dos Povo, durante as Festas de Nossa Senhora que se realizou nos dias 20,21 e 22 de Agosto de  2011.

Participou com uma das suas esculturas na exposição de presépios que o padre Manuel realizou no salão da Igreja no natal de 2012.

DSCN1506

Participava activamente na vida da comunidade. Era presença habitual nas missas de domingo. Todos os anos nas Festas de Nossa Senhora seguia até onde podia a banda filarmónica que recolhia os andores. Participou na homenagem que o povo do Alqueidão fez ao padre Américo Ferreira. Estava presente nas actuações do Grupo Coral Calçada Romana, nos almoços solidários de Natal, na apresentação do livro “Avô Capitão”, etc.

Um grande senhor, que viverá para sempre na nossa memória…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Faleceu no Hospital de Leiria, com 88 anos de idade, no dia 19 de Janeiro de 2014. Casado com Clotilde da Silva Amado Gabriel Furriel, era pai de Pedro Jorge Gabriel Furriel e Paulo Rui Gabriel Jorge Furriel este último já falecido, avô de três netos e uma bisneta.

Imprensa Regional

A Gazeta das Caldas

http://www.gazetacaldas.com/37073/francisco-jorge-furriel-1925-2014/

O Portomosense

http://www.oportomosense.com/index.php?option=com_content&view=article&id=1010:francisco-furriel-deixou-nos&catid=39:cultura&Itemid=73

O Portomosense de 06 de Fevereiro de 2014

O Portomosense.jpeg O portomosense1 o Portomosense2 O Portomosense3 o portomsense o portomosense4

Esta entrada foi publicada em Biografias. ligação permanente.

2 respostas a Francisco Furriel

  1. Maria Jose Rosinha diz:

    Quando tive oportunidade de ler esta Biografia, comentei que é um Grande “Senhor”, hoje quero acrescentar, que foi um marido muito carinhoso, um optimo Pai, um Avô muito amado, e para mim, foi um sogro Exemplar, compreensivo, um Grande Amigo!
    Já todos sentimos muita saudade.

    Gostar

  2. Maria Jose Rosinha diz:

    um grande “senhor” o meu sogro!

    Gostar

Obrigado pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s