Alfredo de Matos

Alfredo Amado de Matos, nasceu em Alqueidão da Serra. Era filho de José de Matos e Maria Amado.

Maria Amado era irmã do Padre Júlio Pereira Roque

Estudou no Seminário de Leiria, entre 1927 e 1937.Casou em  23 de Junho de 1945 com D. Maria Luisa Salgado Correia.

Foram  viver para Lisboa e  tiveram 2 filhos.

Além do seu trabalho como funcionário de uma grande empresa industrial, Alfredo de Matos fazia investigações sobre a história da tua terra natal  e  do seu distrito, e também  colaborava com assiduidade  com  os jornais da sua região, como por exemplo: Ecos do Alcoa (Jornal de Alcobaça); Voz do Mar (Jornal de Peniche);  Gazeta das Caldas (jornal das Caldas da Raínha); e ainda com os jornais Região de Leiria, A Voz do Domingo e o Mensageiro, todos de Leiria.

Publicou várias obras, entre as quais  Dom Frei Brás de Barros;  D. João III e a construção da Sé de Leiria; A Comarca de Porto de Mós;  Alqueidão da Serra-Apontamentos para a sua história; Um passeio na história do Juncal, etc.

Faleceu em Lisboa, no ano de 1992, sem ver publicada uma obra, à qual dedicou muitos anos da sua vida: “a monografia de Alqueidão da Serra”, um trabalho com 600 páginas em formato A4 que nunca chegou a ser publicado.

Em homenagem ao jornalista e investigador histórico que foi Alfredo de Matos, foi criada em Alqueidão da Serra  a biblioteca Alfredo de Matos, (uma extensão da biblioteca de Porto de Mós), que teve inicialmente as suas instalações na Casa junto à Calçada Romana, e que posteriormente foi transferida para a nova sede da Junta de Freguesia.

A biblioteca era composta por livros que pertenciam à Biblioteca de Porto de Mós, por isso todos eles voltaram para a Biblioteca Municipal de Porto de Mós, junto com algumas enciclopédias que tinham sido deixadas pelo Padre Américo e pelo Padre Faria.

Durante o fim de semana de 29 e 30 de Agosto de 2015, em que ocorreu no Alqueidão a festa das comemorações dos 400 anos de freguesia, com missa de ação de graças transmitida pela TVI, faleceu em Lisboa a D. Maria Luísa Salgado Correia, esposa de Alfredo de Matos.

img053_large

Esta entrada foi publicada em Biografias. ligação permanente.

Uma resposta a Alfredo de Matos

  1. É, porventura, daquelas figuras que, supostamente valeria a pena ter conhecido.
    Quando ele faleceu (1992) eu já estaria a viver o meu trigésimo nono ano de vida e …
    E de um tal Alfredo de matos apenas, como até este artigo que agora leio, apenas conhecia o nome … o nome de um tal Alfredo de Matos …???

    Gostar

Obrigado pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s