Frei Diogo de Santo Alberto

Frei Diogo de Santo Alberto, de Alcunha “O Calça” nasceu em Alqueidão da Serra no dia 1 de Agosto de 1630.

O seu nome de baptismo era Diogo Esteves e era filho de Domingos João Mendes  e Maria Esteves Malha.

Em 31 de Agosto  de 1651, entrou para o Convento de Nossa Senhora dos Remédios em Lisboa, onde professou em 8 de Setembro de 1652. (O Convento de Nossa Senhora dos Remédios existiu em Lisboa de 1581 até 1834, ano em que a ordem religiosa foi extinta pelo Mata Frades. Actualmente está transformado em Hotel: York House Lisboa.)

No ano de 1655 Frei Diogo de Santo Alberto foi estudar filosofia para o Colégio de Nossa Senhora do Carmo de Figueiró. (O Colégio de Nossa Senhora do Carmo de Figueiró dos Vinhos era masculino e pertencia à Ordem dos Carmelitas Descalços. Em 1642, o convento foi destinado a Colégio das Artes e, posteriormente, ao ensino de filosofia. Aqui se realizaram também alguns Capítulos Provinciais.)

No ano de 1658 foi estudar teologia para o colégio de São José de Coimbra.

Esteve pouco tempo neste colégio, porque o dispensaram dos estudos e o nomearam para ser um dos fundadores do Convento de Nossa Senhora do Carmo de Luanda, em Angola, para onde partiu em 31 de Maio de 1659.

Ao fim de 120 dias de navegação chegou à cidade de Luanda em 28 de Setembro de 1659.

Ao fim de três meses de permanência em Luanda assistiu à inauguração do novo convento em 24 ou 25 de Dezembro e aí ficou alguns anos.

De regresso a Portugal o barco onde viajava passou por uma grande tempestade e naufragou. Os frades foram resgatados por um barco de Mouros, e seguiram para Argel como prisioneiros.

Como não chegaram a Portugal na altura prevista, correu a noticia que o barco tinha naufragado e que todos tinham morrido.

Frei Diogo de Santo Alberto e os seus companheiros estiveram cativos em Argel durante algum tempo.

Voltou para o Convento dos Remédios em Lisboa onde esteve sem qualquer ocupação até Maio de 1670, altura em que tomou posse do noviciado, tendo sido nemeado Mestre dos Noviços.

Em 22 de Abril de 1673 foi eleito Prior do Convento de Nossa Madre Santa Thereza de Santarém,  de que tomou posse em Maio desse mesmo ano. Pouco tempo governou esta casa,  porque fez troca com o Prior de Nossa Senhora do Carmo de Figueiró, e entrou a governar o dito colégio em 29 de Julho de 1674.

Dando fim a esta ocupação em 1676, ficou outra vez no Convento dos Remédios em Lisboa até ao ano de 1679.

Foi depois nomeado Visitador Geral dos Conventos Ultramarinos, lugar que ocupou até 1683.

Regressou ao Convento dos Remédios em Lisboa onde foi eleito IV Substituto do Capitulo Provincial XXIV, cerimónia que ocorreu no Colégio de Coimbra em 22 de Abril de 1684. Permaneceu neste cargo até ao ano seguinte.

Em 12 de Maio de 1685 foi nomeado Difinidor Geral e Protector das Províncias das Indias, cujo lugar ocupou até 8 de Maio de 1688, altura em que foi declarado Reitor do Colégio de Coimbra, no qual entrou a 20 de Junho.

Dois anos mais tarde, a 15 de Abril de 1690 nomearam-no II Difinidor e I Substituto para acompanhar os padres que deviam vir votar no Capítulo Geral XXXVII  de 5 de Maio de 1691.

Vindo de Castella pediu patente para o Convento Eremético de Santa Cruz do Buçaco onde entrou a 9 de Junho de 1691, e saiu no ano seguinte.

Voltou de novo para o Convento dos Remédios em Lisboa onde faleceu em 17 de Junho de 1698, com 67 anos de idade e 46 anos de hábito.

(Pesquisas de Alfredo de Matos)

 Em homenagem a Frei Diogo de Santo Alberto, foi dado o seu nome à rua que fica do lado esquerdo da Igreja Paroquial.

Esta entrada foi publicada em Biografias. ligação permanente.

2 respostas a Frei Diogo de Santo Alberto

  1. Jorge Reis Amado diz:

    Seria interessante saber se existem na atualidade descendentes, não de frei Diogo, evidentemente, mas de sua família; talvez pela alcunha “Calças”.
    Grato pela divulgação.

    Gostar

    • Ola’Jorge, como penso que sabes,os nossos antepassados,como por exemplo,o meu avo,Manuel Amado assim como o bisavo do Joao Gabriel o Antonio Vieira Amado eram conhecidos por ‘Calcas” e a tua avo’,tia “Catrina” era irma deles.Nao sei se havera’ alguma ligacao entre eles e o Frei Diogo.Um abraco.

      Gostar

Obrigado pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s