Padre João Vieira Amado

Nasceu e foi baptizado na igreja paroquial de Alqueidão da Serra. Era filho de José Vieira Amado e Joaquina de Jesus.

Com a preparação intelectual que lhe deu o Padre Manuel Afonso e Silva foi admitido no Seminário de Leiria. Entrou como pensionista, “pagando com grande sacrifício de sua família a mensalidade de 2.400 reis”, como ele próprio escreveu.

Neste seminário, fez exame de Latim no dia 2 de Julho de 1881. Em 5 de Julho de 1882, foi examinado em Francês e Português. A 6 de Julho de 1883 prestou provas de Filosofia (1ª parte) e de Aritmética e no dia 1 de Julho de 1884, respondeu a Literatura e a Geografia.

Isto quanto ao aproveitamento intelectual. Sob o ponto de vista do aproveitamento moral, atesta o Reitor “que o seu comportamento foi muito regular, e assaz demonstrativo da sua vocação para a vida sacerdotal”.

Fez os últimos exames no Seminário de Leiria, em 7 de Julho de 1884, e neste mesmo ano  fez o exame de Latinidade ( estudo superior da língua latina) no Seminário de Santarém no dia cinco do mesmo mês e ano.

João Vieira Amado recebeu a Prima Tonsura e Ordens Menores, a 27 de Março de 1885 conferidas, na igreja de S. Vicente de Fora, de Lisboa, pelo Arcebispo de Mitilene que então era D. João Rebelo Cardoso de Meneses.

Foi na mesma igreja, lhe recebeu o Sub-diaconado em 18 de Dezembro de 1886.

O Diaconado recebeu-o em 4 de Junho de 1887, na capela do Paço de S. Vicente de Fora, de Lisboa, sendo oficiante o Arcebispo de Mitilene, D. José Gaudêncio Pereira.

Quem lhe conferiu a ordenação sacerdotal foi o Cardeal Patriarca D. José Sebastião Neto, na capela do Seminário de Santarém a 3 de Julho de 1887.

Deu provas públicas de concurso para a freguesia de Paio Pele e foi aprovado com dez votos em quatro votações.

Posteriormente, foi nomeado coadjutor da freguesia de S. Pedro da Ericeira, por um ano.

A 21 de Julho de 1891 obteve carta de paróquia da freguesia de S. Pedro e Salvador, de Torres Novas, com a pensão de dar o terço da côngrua para o Seminário.

No dia 4 de Janeiro de 1894 foi dispensado da paroquialidade de S. Pedro e a 23 de Junho imediato foi autorizado a celebrar durante um ano, na capela da Meia Via, Torres Novas.

Neste mesmo ano colou-se na freguesia do Alqueidão, em 24 de Agosto. Por aqui se manteve até Setembro de 1898.

Por informação de “O Portomosense”, de 9 de Janeiro de 1901, sabe-se que nesta data estava à frente dos destinos religiosos da freguesia da Roliça, ao tempo do concelho de Óbidos mas que depois de 28 de Março de 1914 foi integrada no concelho do Bombarral.

Ainda no ano de 1901, regressou a Torres Novas. Desta vez ficou na freguesia de S. Tiago durante um ano.

A este sacerdote se refere “O Mensageiro”, citando a respeito da dinamitação do P.e Júlio Pereira Roque, ao falar doutro padre que foi espancado no Alqueidão, a coberto da impunidade vigente no Concelho.

Faleceu em Torres Novas, a 8 de Agosto de 1928.

Esta entrada foi publicada em Biografias. ligação permanente.

Obrigado pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s