Os Mineiros

A Empresa Mineira do Lena iniciou os trabalhos de exploração de carvão na zona das Alcanadas em 1740, e desde esta altura até ao seu encerramento, já depois da guerra mundial de 1939-1945, sempre alguns habitantes do Alqueidão da Serra lá trabalharam.

A profissão de mineiro era muito árdua, e exigia muito trabalho muscular nas escavações do subsolo quente e húmido. Além disso, os trabalhadores que habitavam em Alqueidão da Serra tinham que andar 3 km a pé para chegar ao trabalho.

O trabalho era muito irregular devido a questões acidentais, como por exemplo, o Terramoto de 1755 em que Portugal sofreu graves danos, e Lisboa ficou bastante destruída. Para a sua reconstrução a Empresa Mineira do Lena teve que enviar parte dos seus trabalhadores para a capital, onde permaneceram durante os 50 anos da reconstrução da cidade.

Entre os anos de 1808 e 1811 Portugal foi alvo de invasões francesas, o que impossibilitou o trabalho regular da Empresa Mineira do Lena, e no ano de 1838 Portugal parou a sua industrialização devido a guerra civil, afectando também os trabalhos.

Foi durante a Guerra Mundial de 1939-1945 que maior número de pessoas do Alqueidão trabalharam na Empresa Mineira do Lena, como mineiros ou encarregados.

Augusto Almeida Batista nascido em 1925, José dos Santos Vieira (Zé Lisboa) nascido em 1915 e Serafim Martins Soares nascido em 1928, trabalharam como mineiros na Empresa Mineira do Lena.

grupo de mineiros

Grupo de Mineiros
Foto tirada em Janeiro de 1996

Artur Vieira da Rosa que nasceu em Alqueidão da Serra no dia 12-01-1912, foi responsável pelo paiol de pólvora das Minas de Carvão da Empresa Mineira do Lena.

artur vieira da rosa

Artur Vieira da Rosa em 1996

Cerca de meia centena de homens e mulheres iam e vinham todos os dias nos turnos de dia e de noite, chovesse ou fizesse calor, a pé, durante anos seguidos.

Na Mina as mulheres trabalhavam como escolhedoras de carvão.

escolhedoras de carvão

Escolhedoras de Carvão
Desenho de Francisco Jorge Furriel

Durante a guerra 1939-1945, quando havia uma grande escassez de alimentos, e consequentemente muita fome, as famílias cujos homens trabalhavam na mina, tinham a possibilidade de ir à cantina dos trabalhadores buscar alimentos, que eram registados numa caderneta e depois, o seu valor era descontado no fim do mês no salário do trabalhador.

Caderneta EML

Caderneta do trabalhador da Empresa Mineira do Lena

O trabalho na mina foi nesta altura  a principal fonte de recursos.

Quando a Mina encerrou em 1950, teve início a grande evolução das empresas de fiação e tecelagem de Mira de Aire e Minde.

As Minas de Carvão e a Industria dos Lanifícios contribuíram fortemente para o desenvolvimento do Alqueidão. Outro factor importante foi a emigração, na década de 60.

Fontes: Wikipédia – a Enciclopédia Livre e “Da Pré-História à Actualidade – Monografia de Porto de Mós de Francisco Jorge Furriel.
Esta entrada foi publicada em Actividade Económica. ligação permanente.

Obrigado pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s