A Fábrica dos Vidros

Estávamos no início da década de 60. Santos Barosa e a esposa eram os donos de uma fábrica de vidros que funcionava provisoriamente na garagem do Telmo, na Rua do Fundo do Lugar. O encarregado era o Sr António Costa, era de Picassinos e veio com a esposa para o Alqueidão, ficando a morar na Travessa do Ti João Biscoito, pertinho da fábrica.

Instalações provisórias da fábrica dos vidros em 1960

Instalações provisórias da fábrica dos vidros em 1960

Eram cerca de 15 os trabalhadores, quase todos do Alqueidão, que tinham o trabalho de polir pequenas peças de vidro, como por exemplo pingentes utilizados no fabrico de candeeiros e lustres.

Candeeiro de pingentes

Candeeiro de pingentes

As pequenas peças (em bruto) vinham da outra fábrica que o Sr. Barosa tinha na Marinha Grande, e depois de muito bem polidas voltavam para a Marinha Grande para serem comercializadas.

Com a chegada de novos trabalhadores da fábrica da Marinha Grande, o pessoal foi transferido para as novas instalações da Fábrica na Rua do Reguengo do Fetal, onde actualmente estão os Moveis Jacinto. Alguns desses trabalhadores mudaram para cá a sua residência definitivamente e continuam ainda hoje, a viver no Alqueidão.

Numa altura em que a população do Alqueidão vivia exclusivamente da agricultura, a fábrica dos vidros era a única indústria local. Laborou durante cerca de 4 anos.

O fim da laboração da fábrica dos vidros ocorreu por volta do ano de 1965, altura em que nasceu a fábrica de Malhas Martos. Algumas das raparigas que trabalhavam na Fabrica dos Vidros que entretanto tinham ficado sem o seu emprego, foram admitidas ao serviço da Fábrica das Malhas Martos.

A Fábrica de vidros da Marinha Grande

Foi fundada em 1889. Ao longo da sua história Santos Barosa produziu e comercializou quase todos os tipos de vidro, ou seja vidro plano, cristalaria, artigos de iluminação etc. Actualmente dedica-se exclusivamente ao fabrico de vidro para embalagem.

Esta entrada foi publicada em Actividade Económica. ligação permanente.

Uma resposta a A Fábrica dos Vidros

  1. Rogério Amado Vieira Pedro diz:

    eu trabalhei nesta fafrica 1 ano de 1968 a1969 antes de ir para a França

    Gostar

Obrigado pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s