O Limbo

foto-10x14Nos anos anteriores a 1960 morriam muitas crianças. Não existiam vacinas, e para além disso os partos eram feitos em casa e por vezes havia complicações.

Existia a preocupação de dar o Batismo à criança logo 3 ou 4 dias depois do nascimento, porque assim, se ela viesse a falecer, já estava batizada e iria para o Céu, porque o Batismo já a tinha libertado do pecado original.

Mas muitas crianças morriam à nascença e outras já nasciam mortas, e neste caso, como não tinham ainda recebido o Batismo, eram consideradas pagãs, daí que o funeral não podia religioso, nem elas podiam ser sepultadas normalmente no cemitério.

Existia no cemitério um cantinho à parte para onde iam estes bebés. No funeral não podia ir nenhum adulto. O bebé defunto era colocado dentro de uma caixa de madeira com 4 alças de corda e era levado em cortejo pelas crianças que cantavam todo o caminho até ao cemitério. Nem a mãe nem o pai e nem nenhum adulto assistia, até que a caixinha fosse deixada no cemitério.

Na catequese ensinavam que depois da morte, estes bebés não podiam ir para o céu porque não tinham sido batizados, mas também não podiam ir para o inferno porque não cometeram nenhuma falta grave, e não podiam ir para o purgatório porque não chegaram a adquirir consciência dos seus pecados. Então, iam para um lugar denominado LIMBO.

O Limbo

O Limbo é considerado como “a fronteira do inferno”. O lugar preparado para aqueles que não podendo entrar no Céu, também não merecem o inferno.

O limbo infantil não é dogma nem verdade de fé, é apenas uma mera hipótese teológica. A doutrina tradicional ensina que as crianças que morrem sem o Batismo vivem eternamente neste lugar, ou estado, sem sofrimento mas privadas da visão de Deus.

Santo Agostinho teorizou que, devido ao pecado original, os recém-nascidos que morrem antes de serem batizados, terão a mais branda condenação de todas, no entanto, não podem ser elevadas ao Paraíso por ainda carregarem o pecado primário de Adão.

foto-6x10-bebe

Esta entrada foi publicada em Costumes e Tradições. ligação permanente.

2 respostas a O Limbo

  1. A história do Limbo tem muito que se lhe possa dizer, se Deus é pai de misericórdia para todas as almas, porque tal ensinamento?

    Gostar

  2. Em minha opinião , a igreja católica devia olhar com mais seriadade a este ensinamento acerca do Limbo. Continuam a ensinar os adultos como se fossemos crianças. Como ainda lidam com os pobres inocentes! Não me parece real, porque acredito que Deus é pai misericordiosa de todas as almas.

    Gostar

Obrigado pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s