Francisco Carreira Poças

O padre Francisco Carreira Poças nasceu no Reguengo do Fetal. Foi pároco da freguesia de Alqueidão da Serra durante seis anos e exerceu as funções de Presidente da Junta de freguesia desde 17 de Julho de 1899 até 15 de Julho de 1905.

Francisco Carreira Poças

A confraria de Nossa Senhora do Rosário surgiu na freguesia de Alqueidão da Serra em 1904, pela mão do padre Francisco Carreira Poças, que conseguiu inscrever como associados cerca de 150 pessoas, espalhadas pelos diversos lugares da freguesia: Alqueidão, Curral das Vacas, Demó, Vallongo, Casal Duro, Covas Altas, Covão de Oles, Casais dos Vales, Vales e Zambujal.

Foi o padre Francisco Carreira Poças o primeiro pároco que se interessou pelo facto de as pessoas que viviam nos lugares mais distantes da freguesia estarem privadas de assistir à missa e receber os sacramentos por não existir uma Capela nas proximidades.

Atirando-se de caras para resolver esta questão, o mais intrincado problema com que se deparou foi o da localização da capela. A este respeito, não se entendiam entre si as populações dos lugares de Bouceiros, Casal do Duro, Covas Altas, Demó, Lagoa Ruiva e Valongo.

Resolvidos que foram todos os conflitos, a Capela foi concluída e a notícia da inauguração saiu no Jornal “O Portomosense” de 14 de Julho de 1905:

“Realizou-se com toda a pompa e enorme concurso de povo, nos dias 24 e 25 do passado, a sagração da nova capela e festa a Santa Quitéria, no lugar dos Bouceiros, freguesia do Alqueidão.

Às oito horas da manhã foram conduzidas processionalmente as imagens de S. Bento e Sta Quitéria, da Igreja matriz até à nova capela, situada num lugar pitoresco e ameno.

Ali no meio de inumerável multidão, procedeu-se à cerimónia da sagração a que se seguiu missa cantada, orando o Revº. Pároco, nosso amigo Padre Poças, que cheio de justificado entusiasmo por ver coroados de êxito os seus esforços de dois anos, proferiu um discurso que arrebatou todo o auditório, superior a três mil pessoas.

Seguidamente, pôs-se em marcha uma bem dirigida procissão a que dava todo o realce uma enorme fila de mais de duzentas ofertas.

De tarde, arraial em que se deu um desagradável incidente, devido a rixas antigas entre os povos de lugares próximos. Mais uma vez felicitamos os nossos amigos Padre Poças e todos os seus cooperadores.”

A construção e a inauguração da Capela, em 1905, foi um dos últimos grandes feitos oficiais do Padre Francisco Carreira Poças, como pároco desta Freguesia. Actualmente desta primitiva Capela já nada existe.

capela bouceirosA Capela dos Bouceiros, (que actualmente também se pode chamar Igreja porque tem culto, inclusivamente missa dominical), tal como hoje a conhecemos, foi construída nos finais da década de 60, no mesmo local onde se encontrava a capela antiga que tinha sido construída no tempo do Padre Poças, e é obra das gentes locais que tiveram todo o apoio, empenho e total acompanhamento do Padre Américo Ferreira. Foi uma das primeiras Capelas da Diocese de Leiria, a aplicar e introduzir no estilo e formas, as novas normas de modernização trazidas pelas reformas do Concílio Vaticano II. Foi obra arquitectónica do Gabinete de Arquitectos de Leiria, Korrodi e Célio Cantante.

A acção pastoral do padre Francisco Carreira Poças foi notável devido não só ao seu fervor religioso, mas também aos esforços que desenvolveu para adornar a igreja devidamente, encomendando bandeiras, comprando imagens e outros objectos necessários à casa de Deus.

Conforme noticia publicada no jornal “O Portomosense” de 29 de Julho de 1904, por esta altura, já ele tinha comprado (parte à custa dos rendimentos paroquiais, parte à custa do seu próprio bolsinho particular):

  • 1 Cofre à prova de fogo: 40$00
  • 1 Bandeira de São Sebastião: 10$50
  • 1 Andor em talha dourada: 35$00
  • 1 Lanterna dourada: 28$00
  • 1 Cruz prateada para as procissões: 25$00
  • 1 Casual roxa: 18$00
  • 1 Lâmpada Francesa: 15$20
  • 1 Bandeira do Coração de Jesus: 46$30
  • 1 Casual de Lustrina e oiro: 104$30

O Padre Francisco Carreira Poças saiu do Alqueidão da Serra para S. João de Porto de Mós de onde foi transferido para o Reguengo Grande e S. Sebastião da Pedreira em Lisboa e por fim, veio a ser pároco de S. Pedro em Porto de Mós.

Enquanto pároco da freguesia de São Pedro colaborou na criação da freguesia das Pedreiras, que foi erguida sob a protecção do Mártir São Sebastião, ficando responsável por organizar a nova freguesia. Estávamos em 5 de Agosto de 1924.

Em colaboração com o pároco de S. João, que era na altura o padre Manuel Carreira Poças, fundou a Juventude da Acção Católica, e quando chegou o tempo de formalizar esta nova instituição fez-se uma grande reunião de jovens em Porto de Mós.

Foi no dia 8 de Dezembro de 1936. Estavam presentes muitos jovens e crianças acompanhados pelos seus pais, que chegaram vindas de todos os lugares do Concelho de Porto de Mós. Destacavam-se as crianças da Cruzada Eucarística com os seus fatinhos brancos. As celebrações decorriam normalmente quando o edifício onde se encontravam ruiu. Morreram, em poucos minutos, 36 crianças com idades compreendidas entre os 9 e os 11 anos e cerca de 200 pessoas ficaram feridas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 Com a colaboração do Professor Carlos A. Rosa Vieira
Esta entrada foi publicada em Biografias com as etiquetas , . ligação permanente.

Uma resposta a Francisco Carreira Poças

  1. António Saragoça (Tojeiro) diz:

    Histórias da nossa terra….nunca são demais.

    Gostar

Obrigado pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s