Serra do Alqueidão

 Mangas do Goivado

Subindo a estrada para os Bouceiros, chegando à britadeira velha, a serra que fica do lado esquerdo tem o nome de Mangas do Goivado. Do lado direito da estrada fica a Cabeça do Sol.

Britadeira Velha

Britadeira desativada desde a década de 80. Era explorada por Rui da Cunha Carvalho, dos Marrazes.

Reza a lenda que São Pedro escondeu uma cadeira de oiro nas Mangas do Goivado (para ler a lenda clique aqui). Foi nessas terras que começou a atividade a britadeira que atualmente se encontra desativada.

Quando o Manuel Grosso abriu a pedreira do outro lado da estrada, na Cabeça do Sol, e ao ver a enorme procura da pedra lá produzida, houve até quem fizesse este comentário: “Afinal parece que São Pedro não escondeu a cadeira de oiro nas Mangas do Goivado como diz a lenda, escondeu-a mas foi ali à frente, na Cabeça do Sol”.

Britadeira
A Cabeça do Sol, vista das Mangas do Goivado

  Cabeça do Sol

Parte integrante do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, a Cabeça do Sol tem 524 metros de altitude. Lá no cimo encontramos o Algar das Sete-Bocas, o Algar do Alípio e o Penedo do Boi.

Antigamente o caminho estava sempre livre porque o mato era todo cortado para fazer a cama do gado durante o ano, e também para queimar na lareira ou aquecer o forno para cozer o pão. Hoje em dia nada disto é necessário pelo que o mato cresce pelo meio do caminho que fica muito difícil de percorrer.

Serra da Murada

Avista-se do caminho do Chão Falcão. Por de trás dos altos carrascos vê-se a entrada de algumas cavernas.

Referem alguns autores que Alqueidão da Serra em tempos muito antigos se chamou Alqueidão da Murada. Algumas pessoas com mais idade dizem que a zona da serra da murada noutros tempos foi habitada.

Serra da Murada
Serra da Murada

   Os Vieiros

A zona que nos fica à direita quando, depois da fonte, começamos a subir na estrada de Porto de Mós para o Alqueidão, chama-se “Vieiros”.

Vieiro é sinónimo de veio de metal. Este local esteve ligado à exploração de ferro, no tempo dos Romanos. Antes da construção da estrada para Porto de Mós, ainda se encontravam nesta zona uns pedaços a que o povo chamava “borra de ferro”.

Sobre este pequeno e sobre-comprido monte, chegou até ao nossos dias a lenda das Moiras dos Vieiros, história dos tempos em que por este sito não havia casas nem estrada, existiam apenas estreitos caminhos. Para conhecer a lenda das Moiras dos Vieiros clique aqui. DSC00865

  A Serra Galega

Desta serra ficam mais perto os lugares de Covão de Oles, Casais dos Vales e Vales. Do outro lado da Serra Galega fica Alcaria. Antigamente tudo era semeado. Ainda se avistam partes das paredes de pedra que dividiam os terrenos. No cimo da Serra Galega cresce unicamente uma vegetação rasteira, como a pimenteira, e salva nos locais mais abrigados, devido aos ventos fortes e muito frios que sopram naquela zona.

 Cabo da Várzea

No decorrer da segunda metade do século XIX, franceses e ingleses manifestaram interesse em pesquisar o carvão e o ferro no concelho de Porto de Mós. Na sessão da Câmara de 12 de Outubro de 1856, a lavra das minas de carvão e ferro deste Concelho foi concedida a George Croft.

Apesar da discordância registada de um só vereador, a ideia teve seguimento e Croft realizou trabalhos, pelo menos no Alqueidão.

Pertence-lhe a exploração que foi praticada no Cabo da Várzea, numa fazenda que foi propriedade de Francisco Pereira Roque. Aí se abriu uma mina. “O inglês” afirmava que existia muito ferro lá no fundo, mas que a água não permitia explorá-lo.

DSC00398

 Carreira da Serra

Descendo pelo Cabo da Várzea chegamos à Carreira da Serra. Este é o local do Alqueidão de onde a pedra preta é mais preta.

DSC01064

Carreira da Serra

Cabeça

O lugar onde estão os moinhos da Cabeça, tem o nome de “Cabeça da Vaca”.

Na parte que fica voltada para os Vales, existia um local a que chamavam o Arieiro que era onde se ia com os burros buscar a areia para a construção das casas.

Nesta zona existia uma terra arenosa que se misturava com cal e era depois utilizada para fazer o reboco das paredes de pedra das casas de habitação.

Local antigamente denominado “Arieiro”

Cabeço do Moínho

Subindo em direção ao Covão de Oles, e já dentro desta localidade, cortando à direita numa estrada de terra batida que vai até Alcaria, estamos no Cabeço do Moinho. O Moleiro do Covão de Oles em tempos vendeu o moinho, pelo que levaram de lá as mós, as máquinas, etc…, ficaram as paredes.

 Cabeça Gorda

Logo a seguir ao Cabeço do Moinho, em direção a Alcaria, à nossa mão esquerda fica a Cabeça Gorda.

DSC01107

Cabeça Ligeira

Chama-se Cabeça Ligeira a serra que, no alinhamento da Cabeça do Sol, vai desde o Covão de Oles até às Covas Altas.

DSC01114

Esta entrada foi publicada em Património Natural com as etiquetas , . ligação permanente.

Uma resposta a Serra do Alqueidão

  1. Bastantes dos nomes me escapavam … desconhecia.
    Mas, indesmentível: … Até cansa … de bonito !!!

    Gostar

Obrigado pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s